Postagem coletiva - Crianças desaparecidas

>> segunda-feira, 25 de maio de 2009

1247 crianças e adolescentes estão desaparecidos no país, diz governo.


Os números podem ser maiores, já que muitos casos não são registrados. O motivo mais comum é a fuga de casa por causa de conflitos familiares.

Relatórios do governo federal apontam que 1.247 crianças e adolescentes estão desparecidos no país atualmente. Porém esses números devem ser maiores, já que muitos casos não são registrados, é o que conclui o estudo do governo. O principal meio para encontrar essas crianças e adolescentes é a divulgação de fotos.

Graças à distribuição de panfletos com o rosto da filha desparecida, a mãe da estudante Júlia, de 9 anos, conseguiu encontrar a menina, que desapareceu em um dia de praia lotada, no Rio de Janeiro. A mãe da estudante acredita que a divulgação com os cartazes feitos pelo programa SOS Crianças, levaram o criminoso a abandonar a menina sã e salva, dois dias depois, perto de onde ela sumiu.Luiz Henrique, do SOS Crianças, acredita que a imagem divulgada em vários meios, como cartazes e planfletos, acaba pressionando a devolução da criança.
Cerca de 85% dos desaprecimentos de crianças e adolescentes são solucionados por causa da divulgação. Os rostos dos desaparecidos estão nos recibos de pedágio das principais estradas do Rio e São Paulo. Mas, como as crianças mudam rapidamente de fisionomia, a delegacia de desaparecidos de Curitiba usa um programa de computador que simula o envelhecimento do rosto de uma criança, mostrando como ele seria hoje.Segundo as delegacias, 85% dos desaparecimentos são solucionados. A família deve fazer o registro na delegacia mais próxima. Uma lei em vigor há três anos determina que a procura de menores desaparecidos deve ser imediata. Não há necessidade de esperar 24 ou 48 horas, como muitas pessoas ainda acreditam.

Motivos do desaparecimento

O principal motivo de 75% dos desaparecimentos é a fuga de crianças e adolescentes por causa de conflitos familiares. Os outros motivos são filhos que se perdem dos pais (9,51%), crianças levadas por parentes ou desconhecidos sem violência (7,63%), e rapto (5,3%).Um dos casos é o da estudante Jéssica, de 17 anos, que ficou nove dias numa favela com o namorado. A jovem garante que não pretende fugir mais. “Eu vi o que minha mãe passou , eu vi o que eu passei. Por mim, tb o que passei, eu não faria,” afirma a jovem.

Fonte: Portal G1

Sites oficiais de crianças e adolescentes desaparecidos:

Ministério da Justiça: http://www.desaparecidos.mj.gov.br/
Crianças desaparecidas RJ : http://www.fia.rj.gov.br/SOS.htm
Crainças desaparecidas MG: http://www.desaparecidos.mg.gov.br/

Vamos ajudar! Beijoss!

2 comentários:

Luma 26 de maio de 2009 07:51  

Oi, Débora!! Não entendo porque no Brasil as ações são sempre demoradas. Com o alerta Amber toda a sociedade se mobiliza, afinal fica exposta a imagem da criança desaparecida logo que ela some. O que é bem diferente do que acontece hoje em dia, em que por lei tem que se esperar 24 horas para se fazer um boletim de ocorrência.
Boa semana! Beijus

Ví por aí... 26 de maio de 2009 13:53  

Oi Débora,
Parabéns pelo post...
"Há que se cuidar do broto p/ que a vida nos dê flor e fruto!!!"
Bjkas,

Postar um comentário

Olá! Ficarei muito feliz com seu comentário! Volte sempre! Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...